Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

AVALIAÇAO DO PERFIL DOS PACIENTES SUBMETIDOS A ORQUIECTOMIA RADICAL NO COMPLEXO HOSPITAL DE CLINICAS DA UFPR ENTRE OS ANOS DE 2016 E 2019.

Resumo

O tumor de testículo representa 5% das neoplasias encontradas no homem, geralmente no paciente jovem. O tratamento inicial em todos os casos é a orquiectomia radical. O presente trabalho é um estudo retrospectivo, no qual foram incluídos 17 pacientes submetidos à Orquiectomia Radical no Complexo do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná, no período de janeiro de 2016 a março de 2019, com o objetivo de avaliar o perfil desses pacientes, assim como suas principais características tumorais. A idade dos pacientes submetidos à orquiectomia radical variou de 23 a 77 anos, com média de 40,6 anos. Destes 11 apresentaram diagnóstico de neoplasia testicular confirmado com exame anatomopatológico , 4 pacientes, não apresentaram confirmação da doença, 2 apresentavam orquite crônica, 1 calcificação crônica e 1 Leiomiossarcoma Paratesticular. Dois pacientes ainda foram submetidos a orquiectomia radical sem suspeita de neoplasia: um caso de castração cirúrgica em paciente portador de câncer de próstata e um caso de azospermia com testículo ectópico. Todos os pacientes com tumor de testículo apresentaram Tumores de Células Germinativas (TCG). O lado mais afetado foi o direito, 7 casos contra 4 a esquerda, tendo predomínio a direita tanto em seminomatoso, quanto em não seminomatoso. Destes, 4 (36%) Seminoma, 5 (45%) Não Seminoma e 2 (18%) Misto. No grupo dos pacientes com Tumor Seminoma a média de idade foi de 36,2 anos, não houve nenhum caso com elevação de AFP e β-HCG. Observou-se elevação de marcadores tumorais em 4 dos 5 portadores de neoplasia não seminomatosa. Aumento de AFP em 45% dos casos, 45% em BHCG e 54% em LDH. A aplicação do LDH apresentou excelente relação com o prognóstico da doença, sendo verificado aumento em 80% nos casos de doença avançada em estadio III. Evidenciou-se, 5 de 11 casos de tumores em estágio I, o que corresponde a 45% dos pacientes, destes 3 (60%) eram seminoma e 2 (40%) não seminoma. Apenas um (9%) no estágio II e 5 (45%) em estadio avançado III, sendo 3 (60%) não seminoma e 2 (40%) misto. O principal sítio metastático foi o pulmão em 80% dos casos com metástase, presente em 4 pacientes.

Palavras Chave ( separado por ; )

tumor de testículo; tumor de células germinativas; seminoma; não seminoma.

Área

Uro-oncologia

Instituições

Complexo Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná - Parana - Brasil

Autores

Ivam Vargas Martins da Silva, Alexandre Cavalheiro Cavalli, Lydio Barbier-Neto, MATEUS CONSENTINO BELLOTE, JOAQUIM LORENZETI ANDRADE, RAPHAEL FLAVIO FACHINI CIPRIANI, LUCIANO RICARDO SFREDO, Guilherme Eiji Yamaguto